Portuguese Government Seeks To Criminalize Exposes Of Its Nazi Destruction Of National Health Care

LaRouche Irish Brigade

The medical community of Portugal has declared war on the bill drafted by the Health Ministry, which would prohibit doctors and other health care personnel from issuing public statements, either personally or by means of third parties, which “could call into question the image” of the National Health Service or its dependencies. The bill, parading as a new “Health Care Code of Ethics,” specifies that this prohibition includes use of social media.

The government was given the go-ahead for this law by the same National Life Sciences Ethics Council (CNECV) which ruled two years ago, in strict adherence to Adolf Hitler’s principle of “lives not worthy of being lived,” that it was “ethical” for the government to deny overly-expensive medical care to certain categories of people, in order to meet international financial commitments.

This “gag law” comes as the government is taking down the national health service, closing maternity wards…

View original post mais 250 palavras

Adeus Troika! Olá Mercados! Olá Eleições!

ao Leme

Já é oficial: A Troika foi-se embora! O programa chegou ao final e o Governo optou por não querer um programa cautelar. Ou seja, a Troika foi-se, pelo menos oficialmente, embora! Vamos lá ver quem é que aterra amanhã na Portela depois da noite de hoje…

Devemos muito à Troika! Graças a ela o Sócrates foi-se embora e nós pudemos matar saudades de ver o Portas outra vez ministro: qual peru engalanado rumo ao seu sempre sonhado Ministério dos Negócios Estrangeiros. Mas mais, o Paulinho das Feiras, pôde inaugurar o novo cargo da República, Vice-Primeiro Ministro. E com ele todos nós vibrámos, por termos mais de menos, que dará sempre mais. Ao lado do famoso líder da JSD, Pedro Passos Coelho, formaram uma dupla que ficará nos anais da história.

Graças a estes senhores, aprendemos muito sobre nós. Impossibilitados de reflectirmos sobre nós próprios e o nosso passado recente, Passos Coelho fê-lo por…

View original post mais 941 palavras

Pensar em grande, votar em pequenos

ao Leme

Aqui há dois dias fui surpreendido pela compreensão choque de que as eleições europeias são já este Domingo! Uma campanha que não se sente na rua, que não tem expressão nos media, praticamente inexistente. Claro que o ciclo se renova e agora o PS pede um castigo dos partidos no poder, coisa que as sondagens prevêm acontecer qb. Tal como muitos não tenho ainda firmado onde recairá o meu voto e chego a recorrer à bruxa para encontrar o caminho.

Um lugar no parlamento europeu, para além da suposta representatividade dos interesses de Portugal, representa uma vida cómoda do ponto de vista financeiro. Em adenda quando se dê a saída do parlamento europeu existe um subsídio de apoio à reintegração na vida activa ao estilo de subsídio de desemprego igualmente chorudo. Tal como no parlamento português existe uma panóplia de famílias políticas com a união de esquerdas, união de…

View original post mais 588 palavras

Pontuação dos valores de Abril

ao Leme

A Troika, deveras admirada pelo meigo apego demonstrado pelos Portugueses, perguntou a Passos Coelho quantos zeros à esquerda possuem os tão falados valores de Abril.

Passos, indignado, responde que à esquerda não existem quaisquer zeros que sejam um valor Seguro, o futuro está nos zeros à direita!

No acumular de pequenas fracções irrisórias que geram milhares de milhões de euros em receitas. O segredo está na gestão da revelação da soma adicional de cada uma destas parcelas por forma a que a balança, cega, não dê pelo ultrapassar do limite de excesso de carga.

E sobretudo ter o cuidado de não fazer com que o povo deixe de virgular e passe a pontuar. Tal como na conveniente interpretação da legislação a continuidade do poder e governação alicerça-se na ínfima e grandiosa vírgula. Há que eliminar do raciocínio do povo a capacidade de exprimir qualquer pontuação.

O ponto de exclamação…

View original post mais 432 palavras

O Mundo num Porta-Chaves

ao Leme

No princípio dos tempos (porque já foi há muito tempo) saiu-me num “fura” de cinco tostões, um porta-chaves. Um porta-chaves que era nada mais que… O Mundo!

Vejam a minha sorte. Por um nada (o que eram cinco centavos?…) deram-me o Mundo.

Venderam-mo, é certo, mas pelo valor que foi… entendi-o oferecido.

Guardei-o no bolso da camisa, local que no momento me pareceu mais seguro, mesmo do lado esquerdo, ao lado do coração. Segui saindo, continuando o passeio daquela tarde, já merendado e com o Mundo no bolso. Segui vivendo mil vidas e outros tantos caminhos sem nunca mais me lembrar dele, do Mundo.

Encontrei-o há uns meses, repousando numa gaveta de velharias e recordações, no meio de tudo quanto é quinquilharia e “outros mundos”, que o são, ainda, as recordações de outras deambulações.

Peguei-o, limpei-lhe o pó, poli-o, curiosamente na camisa, do lado do coração, e meti-o no bolso…

View original post mais 729 palavras

Um Dia o Sol Foi Meu

ao Leme

AVISO:

1º Um dia o sol foi meu! Que não haja dúvida!

2º O Sol que vos ilumina só é astro rei para os sub-lunares. Que sois vós.

3º O sol que aqui trataremos foi rei um dia e sê-lo-á sempre. Coisa impossível para outros sóis. Até as estrelas morrem; fazem puf…

4º O que aqui será dito é inteiramente verdade, factualmente e cronologicamente. Salvo aquilo que se entende, e pretende, como criação.

5º À criação tudo é permitido. Até mesmo colocar o Sol em movimento rotativo, como já aconteceu.

6º Para quem tem a tendência, porque os há, de por tudo em causa; mesmo aquilo que

d-escrevo; fica-lhes aqui a orientação remetida para o ponto 1º deste aviso.

SOL para-'Um Dia o Sol Foi Meu'

Fiat Lux!

Com a chegada das andorinhas partiam os compinchas. Os afazeres domésticos agendados, alguns, desde as últimas férias grandes, tornavam os meus amigos mais atarefados que em tempo de aulas…

View original post mais 1.363 palavras