Catedral de Santa Maria

ao Leme

Faz hoje 69 anos que foi lançada a segunda bomba atômica. O alvo, a cidade fundada por portugueses em 1570 foi completamente arrasada pela Fat Man.

image

Nove de Agosto de 1945 é, e para sempre será uma data infame. Um símbolo de morte e destruição. Quase nada permaneceu de pé em Nagasaki. São famosas as imagens do Torii que resistiu à devastação, mas raras vezes é mencionada a solidez da alvenaria portuguesa. Numa época em a displicência vigente ainda não fazia escola, obra lusa era sinônimo de qualidade e prestígio. Sem marca ou publicidade que lhe apregoem virtude, o nosso legado arquitetónico espelha apenas a nossa simplicidade, da pedra sobre pedra, do trabalho bem feito. Um “saber fazer” que no fundo, no fundo, existe em cada um de nós. Acredito que a fútil sofisticação do “economês” que sobre nós se abateu dará (um dia) lugar à nossa singela essência…

View original post mais 86 palavras

A falácia do empreendedorismo

ao Leme

Nesta segunda década do Século XXI, Portugal ficou cheio de empreendedores. O empreendedorismo entra-nos pelos olhos, ouvidos e outros sentidos a dentro, como se disso dependesse o nosso futuro. O problema, é que visto com uma lupa maior, rapidamente se percebe que o empreendedorismo não é mais que uma moda, uma buzzword que fica bem.
Na sua grande maioria o nosso empreendedorismo não é mais do que aquilo que Portugal teve sempre acima da média. O Auto-Emprego. A maior diferença para um fenómeno sempre tão popular em Portugal está nas condições e motivações dos empreendedores, que passaram de “querer ser patrão de si mesmo” para “não há emprego na minha área de formação”. Portanto, na sua maioria o nosso empreendedorismo é auto-emprego mas com um objectivo de sobrevivência.

Há obviamente diferenças de um Portugal dos anos 80 e primeira metade dos 90s em que vivíamos num país menos formado e…

View original post mais 619 palavras

Banco Yin Yang

ao Leme

Good Bank vs Bad BankNão havendo muito mais a acrescentar em termos de opiniões do caso BES e/ou GES arrisco-me a aventurar por caminhos alternativos de pensamento. Faço-o porque não acredito na separação plena do bem e do mal, o equilíbrio dá-se na harmoniosa convivência de ambos. Além de que não basta separar donos, marcas, activos e passivos.

No seio do BES continuarão empregadas muitas pessoas envolvidas nas decisões ou na sua execução. Pessoas que terão tido contacto directo com o refogado, que podiam ter ligado ao 112 para alguém desligar o lume antes que se desse a queima do repasto e mesmo o estragar do tacho. Se a sua mentalidade e obediência se mantiver a recorrência é possível e provável.

Olhando para o balanço consolidado do BES vê-se que realmente o rombo dos milhares de milhões de euros falados arrebenta com todos os rácios de solvabilidade só que isso não invalida que esteja…

View original post mais 750 palavras

Lisboa Menina e Moça que os meus olhos te vêm tão pobre

ao Leme

Lisboa está na moda! Em rota de contra-ciclo com a economia portuguesa, o turismo da capital tem ganho um novo fulgor. De repente, as sete colinas, a luz e o pitoresco das ruas atraem a atenção dos jornalistas da especialidade.

Para mim, nada mais óbvio. Sempre que visitei o estrangeiro e as outras capitais europeias, e por mais belas e monumentais que fossem, sempre achei que lhes faltava a claridade e a proximidade do rio que Lisboa possui.

null

O turismo é encarado como algo positivo em Portugal, e ai de quem disser o contrário, afinal mexe com os interesses de muitos e o trabalho de tantos. Contudo o país virar-se para o turismo como aposta é errado e não se coaduna com um país que se quer desenvolvido. Nós portugueses, nunca fomos mesmo bons nesta coisa de se pensar no que se quer do país. Nós só pensamos o país…

View original post mais 1.226 palavras

A injeção

ao Leme

O plano nacional de vacinação prossegue a todo o vapor. Felizmente há quem pense no bem comum. Estamos em boas mãos, dizem entre eles, uns dos outros. Cortesias de “médico”.

É da nossa saúde que se trata, não da deles. Nitidamente! Os depósitos, os depósitos… não havia um fundo para os garantir? Os postos de trabalho, os postos de trabalho… O que terão estes de especial quando comparados com os dos outros bancos? (Já nem pergunto sobre o desemprego noutras aéreas). Sim, é por todos nós que zelam.
Relembremos o Diagnóstico e plano terapêutico.
Primeiro o banco era sólido e tinha reservas (2kM€). Viva o aumento de capital. Aprove-se o prospecto. Foi um sucesso. Depois, anunciada a saída da família santa, o espírito de brincadeira promove umas travessuras, coisa pouca (+1,7kM€). Impossível de antever. Bom, é aqui entram os profissionais! Adiam, adiam. São contas difíceis, reconheço.
Afinal não é tão…

View original post mais 136 palavras

Danos Colaterais

ao Leme

Longe vão os tempos das cargas de cavalaria, das barragens de artilharia, das trincheiras e dos danos colaterais. Hoje, tudo é sofisticado e preciso, numa palavra, certeiro. Só alvos legítimos são abatidos. Reconfortante, não é?

Que sorte! Que asséptico é o nosso tempo. Ou será que não? Bem, nos países ditos civilizados existem entidades reguladoras, cheias de recursos e sapiência, que nos salvaguardam e protegem da cruel beligerância. Nos outros, ditos não civilizados, nem tanto. Aí, nesses locais onde o escrúpulo não impera, qualquer altercação conduz ao caos.

Esperem. Talvez eu tenha o GPS avariado. Dizem-me que deflagrou uma arma de destruição massiva e que todos vamos ser chamados a pagar a reconstrução. Será? Mas não havia uma reserva que resolvia tudo? Pois… Mas há uma verba da amiga troika. Sei, é de borla, grátis. Tranquilizem-se. Ainda vale metade.

O caldo lá vai reduzindo, o sabor apura e o…

View original post mais 18 palavras

Engraxador de Xi

ao Leme

Portas_engraxador

Sempre que alguém importante visita a ilha Terceira, o mundo muda. O arquipélago dos Açores é palco de grandes e decisivos instantes. Mercados, ultimatos, mentiras e guerra.

Servir é uma arte, tem o seu mérito. Merece reconhecimento e remuneração à altura. Engraxar não é por certo execpção. Quem não se lembra daquela tarde de 16 de Março de 2003? Curiosidade: Apenas o anfitrião se mantêm no activo. Todos os outros já estão na reforma. Enfim, haja quem possa.

Desta feita a cimeira foi singela. Vindo do Chile, Xi não trazia nitratos, nem viajou num Flying P-Liner. Para o receber, Graxa e tapete vermelho.

Chegou, visitou, conversou e poucas horas depois, partiu. Deixou licenças de navegação a mais de 30 Caravelas Portuguesas. Aparentemente, e desta feita, o mundo não mudou muito. Os sapatos de Xi brilhavam tanto como a testa do engraxador.

Xi Jinping visita a ilha Terceira

View original post